in

Comerciantes que não respeitarem decreto da fase vermelha serão multados em SP

O Decreto do governo do Estado de São Paulo denominado Plano São Paulo onde no mesmo seria um plano para recuperação da cidade e nele prevê o funcionamento de serviços essenciais  novamente deixa Comerciantes indignados com a situação.

PUBLICIDADE

A cidade de Mogi das Cruzes  decidiu não seguir a recomendação do Governo Estadual de retornar à fase vermelha do Plano SP.

O Presidente do  SinComercio de Mogi disse que os comerciantes que continuam a descumprir essa lei podem ser multados pelo Estado.

PUBLICIDADE

A Proibição do funcionamento do Comércio nesse final de ano que foi recomendada pelo governo neste último dia 22 ainda divide opinião entre muitos comerciantes e consumidores.

Em Mogi das Cruzes a decisão foi manter as atividades do plano são paulo, e seguir as orientações da fase amarela , em relação a Valterli martinez; presidente do Sincomércio, ele alerta que os descumprimento de regras estaduais pode haver aumento de multas e pesar no bolso.

Outros locais que têm se posicionado contrário ao posicionamento estadual são as cidades de Alto do Tietê.

PUBLICIDADE

Por causa do Feriado de 25 de dezembro NATAL as Lojas não abriram.

No início da semana, o Governo havia decretado que todas as cidades voltassem à fase vermelha do plano sp nos dias 25,26, 27 de dezembro e 1,2,e 3 de janeiro.

Embora Mogi tenha decidido não seguir a recomendação de voltar a fase vermelha em dezembro ,permitindo o funcionamento normal do comércio com na fase amarela, Valterli diz que tem orientado os comerciantes a seguir alguns cuidados.

PUBLICIDADE

“Mesmo que a prefeitura deixe na fase amarela, o Governo do Estado tem prioridade pela região. Isso pode causar multas pelo Governo do Estado, não pela Prefeitura, que já declarou que só vai fazer a liberação e vigiar somente para que seja autuado se tiver muita irregularidade”

comenta Valterli.

“Sábado e domingo seriam uma data muito boa para o comércio pelo motivo das trocas dos presentes de Natal. Isso vai atrapalhar muito o comércio. Nós estamos recomendando aos comerciantes que utilizem as ferramentas para trabalhar drive-thru, delivery, entrega de mercadoria. Deixar meia porta aberta, como estava na fase vermelha mesmo”.

Muitos Comerciantes e populares dizem que a medida e ineficaz 

“Não vai resolver nada. Nem tanto, o povo também não está respeitando. Dependendo, se continuar realmente o que fazia antigamente, pode ser que tenha sim uma melhoria, mas não só três dias. Três dias vai adiantar o que?”.

A decisão do Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas da Prefeitura de Mogi das Cruzes gerou dúvidas entre os empresários.

O Sincomércio diz que o telefone não parou de tocar devido a orientação. 

 Tivemos muito cuidado, fizemos uma nota técnica do nosso departamento jurídico”, complementa o presidente do Sincomércio.

Decreto para o final de ano

De acordo com o vice-prefeito Juliano Abe, que comanda o Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas da Prefeitura de Mogi das Cruzes, a decisão de permanecer na fase amarela veio em decorrência da falta de informação sobre o que poderia ou não funcionar.

Na quinta-feira (24) o Governo do Estado publicou especificações para a fase vermelha temporária. Segundo a Prefeitura, o Comitê Gestor da Retomada Gradativa das Atividades Econômicas vai editar um decreto sobre a fase vermelha, apenas na próxima terça-feira (29), com restrições que vão vigorar apenas nos dias 1, 2 e 3 de janeiro.

O governo do Estado informou que cabe às prefeituras estabelecer restrições mais rígidas do que as previstas no Plano São Paulo e destacou que os 645 municípios paulistas precisam seguir a classificação dada pelo plano, que é definida com base em critérios científicos e de saúde.

O governo disse ainda que a Secretaria de Desenvolvimento Regional tem conversado com as prefeituras para o bom entendimento das ações de enfrentamento ao coronavírus e cumprimento do Plano São Paulo.

Fonte G1

Marcelo Crivella é Preso acusado de chefiar organização criminosa

Grupo terrorista Boko Haram mata pelo menos 11 em ataque a vilarejo de maioria cristã na Nigéria