in

Caso Henry: Vídeo mostra o menino mancando após as agressões de Jairinho

Na última segunda-feira (12), o RJ2 exibiu em primeira mão um vídeo relacionado ao menino Henry Borel, morto ainda no dia 8 de março. Na filmagem em questão, é possível ver a rotina de sofrimentos a qual o garoto era exposto desde o começo desse ano.

PUBLICIDADE

É possível afirmar que Henry chegou sem vida em um hospital localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro na data em questão. O menino apresentava uma série de edemas e também hemorragias internas.

Assim, um mês após o início das investigações, as autoridades responsáveis pela investigação prenderam o vereador Dr. Jairinho, padrasto de Henry, e Monique Medeiros, a mão do menino, acusados de tentar interferir na investigação, bem como de homicídio duplamente qualificado.

PUBLICIDADE

Várias testemunhas foram ouvidas durante o inquérito a respeito da morte de Henry. Entretanto, a prova decisiva para que a Polícia Civil decidisse tratar Monique e Jairo como suspeitos estava no celular da mãe de Henry e se trata de uma conversa com a babá do menino, Thayna Oliveira Ferreira. Na conversa em questão, se torna claro que Monique sabia a respeito das agressões que o seu filho sofria por parte do padrasto.

Devido aos fatos destacados, ainda na última segunda-feira (12), as autoridades voltaram a interrogar Thayna. Na ocasião, ela passou mais de 7 horas prestando depoimento e voltou atrás na sua primeira versão dos f atos, admitindo que havia mentido no seu primeiro depoimento e afirmando que sabia das agressões, mas mentiu a pedido de Monique.

PUBLICIDADE

 

Bebê morre devido à Covid-19 com apenas 40 dias de vida

Bebê de quase três meses de vida recebe alta após passar 25 dias internado em tratamento contra a covid-19: “Foi um milagre muito grande”, diz mãe