in

Visão espírita sobre o divórcio

É um fato que ao se casar com alguém, uma determinada pessoa não está pensando a respeito do momento em que um divórcio virá a ocorrer. Entretanto, a vida nem sempre anda de acordo com os planos que se tem e, portanto, as estatísticas brasileiras ligadas ao divórcio continuam elevadas.

PUBLICIDADE

De encontro ao que foi destacado, é possível ressaltar que dados coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam para o fato de que somente no mês de novembro do ano passado, foram registrados no território nacional mais de 340 mil divórcios. Esses dados representam uma alta em relação ao ano anterior.

Também se mostra válido destacar que passar por um rompimento não é algo fácil para alguém. Dessa forma, muitas pessoas procuram por formas de fazer com que o divórcio não seja tão doloroso. Nesse sentido, aqueles que têm alguma fé acabam por se voltar para ela em busca de conseguir respostas.

Ainda falando sobre a fé, é válido mencionar que os fiéis da doutrina espírita sentem medo de que uma separação possa comprometer os seus propósitos na encarnação. Entretanto, é possível destacar as falas de André Marouço sobre esse assunto para oferecer alento às pessoas que sentem medo.

PUBLICIDADE

De encontro ao que foi citado, é possível pontuar que Marouço afirma, com base no Evangelho Segundo o Espiritismo, que todos os seres vivos têm liberdade de escolha. Devido a essa liberdade, estar ou não casado com alguém também é uma escolha individual e que, portanto, a doutrina espírita não recrimina.

Nesse sentido, André Marouço ainda explica que o Espiritismo é uma doutrina que tem foco na filosofia e na ciência, extrapolando a esfera religiosa. Dessa forma, as pessoas que seguem essa fé são donas do seu destino e podem escolher o que fazer a respeito dos seus casamentos caso eles não estejam mais funcionando.

PUBLICIDADE

Apesar dos pontos destacados, existem alguns pontos que devem ser observados para que os fiéis tenham certeza que não estão desfazendo um laço sagrado por motivos que poderiam ser contornados. Afinal, o Espiritismo também prega que as dificuldades enfrentadas ao longo de cada encarnação fazem parte do processo de evolução dos espíritos.

De encontro a isso, é possível afirmar que quando os casamentos acabam levando os envolvidos a contextos nos quais as brigas se tornam inevitáveis, existe a possibilidade de que uma das partes acabe se tornando depressiva. Em casos mais graves, a situação pode vir a culminar em agressões físicas.

Então, ao se ver diante de um dos cenários, uma determinada pessoa deve compreender que apesar de o casamento ser considerado um laço indissolúvel pela doutrina espírita, esse cenário não é mais favorável para nenhum dos envolvidos no casamento. Dessa forma, é melhor encerrar o vinculo do que correr o risco de que uma das partes acabe perdendo a vida.

3 motivos para não se lembrar de vidas passadas

Com a mãe internada diagnosticada com Covid-19, filhas todos os dias revezam a ida até à janela do hospital para rezarem pela sua recuperação no RN;”Enche o coração de fé”, diz enfermeira