in

A triste história de Dona Dalva, presa após ganhar doação de cadeira de rodas para a filha

Uma moradora negra da periferia de Fortaleza acabou sendo presa em flagrante por um crime que não cometeu.

PUBLICIDADE

Negra e dona de casa, Dalva Maria Santos Pereira, de 47 anos de idade, foi abordada em sua casa, sendo acusada de roubo de uma cadeira de rodas. Segundo informações, quando foi pegar a chave para abrir o portão para os policiais, os mesmos apontaram armas para ela, que teve que explicar que não tinha nada para machucá-los.

Dalva alegou ter ganho a cadeira de rodas para a filha de 19 anos de idade, paralisada nas pernas desde os 13, em uma vaquinha online organizada por sua cunhada.

Segundo ela, a cunhada ofereceu e ela aceitou a doação. Dalva alegou que os policiais não tinham um mandato, e a chamaram de ‘’ladra’’ e ‘’vagabunda’’.

PUBLICIDADE

Ela foi conduzida à delegacia, onde imaginou que iria prestar depoimento, mas acabou sendo detida em flagrante, acusada de formação de quadrilha e receptação do produto. A mesma não sabia do que se tratava, e ainda assim permaneceu 8 dias presa. Segundo informações, os golpes aplicados vinham da cunhada, sem o conhecimento de Dalva.

A dona de casa relata ter sofrido ameaças no presídio, e que muitas detentas só não bateram nela porque seu caso repercutiu na televisão, alegando sua inocência. A prisão de Dalva foi contra o método de prisão em flagrante, onde uma audiência é feita em até 24 horas, e a mesma esperou 8 dias.

PUBLICIDADE

Vídeo: Homem arranca seringa e aplica vacina no próprio braço

Mesmo com a sua noiva morta, homem continua a “conversar” com ela; detalhes são revelados