in

Filha sonha com mãe que morreu vítima da covid-19 e encontra diário escrito no hospital onde ela eternizou a imensidão do seu amor pela família: “Me confortou”

Maria Cecília da Cunha de 52 anos durante o tempo em que esteve internada em tratamento contra covid-19 fez do seu diário um refúgio onde ela eternizou a imensidão do seu amor pela família, pelos filhos e se confortava escrevendo sobre as rotinas sobre a saudade de todos e sobre algumas lições de vida que estava aprendendo.

PUBLICIDADE

Tudo foi registrado no Diário durante o tempo em que esteve internado na unidade de pronto atendimento em Sorocaba São Paulo.

Foram 30 dias lutando contra covid mas infelizmente Maria Cecília não resistiu a doença e morreu no final de Junho.

PUBLICIDADE

A filha Mariana Alves de 30 anos contou que após a mãe falecer viveu um momento muito difícil, sempre todos tinham esperança mesmo quando estava intubada.

Ao passar do tempo ela sonhou com a mãe e ela disse que havia escrito algo que ela precisava encontrar, ela chegou a procurar no hospital na UPA mas não havia nada e após insistir muito no hospital disse que nem sairia do local sem o diário ela conseguiu.
Ali havia as palavras da mãe que trouxeram conforto para ela e todos da família se confortaram, no Diário ela disse que não queria colocar coroa de flores era para comprar uma pizza pois era o que ela amava.

PUBLICIDADE

Durante o tempo que a mãe esteve internada ela enviou diversas cartas foram 17 ao todo, fotos dos filhos e desenhos todos estava no Diário, ela escrevia, falava entre as paredes do quarto do hospital.

Cecília abria o coração e dizia que Deus é que era maior e dava a ela força para superar porque era muito difícil respirar, a filha chegou a publicar um vídeo onde lê vários trechos do diário.

 

Deputada Flodelis tem mandato cassado pela Câmara e pode ser presa

Barbárie: Três adolescentes e o próprio tio de indígena de 11 anos cometem abuso e jogam menina de penhasco