in

Necrofilia: “Talibã abusa de mulheres vivas ou mortas” diz mulher que fugiu do Afeganistão

Após o Talibã tomar o Afeganistão, muitas pessoas tentaram sair do país e uma mulher identificada como Muskan foi uma dessas pessoas, ela trabalhava para a polícia no seu país por isso conseguiu ajuda para sair indo morar na Índia.

PUBLICIDADE

Na Índia ela disse para os jornais que os terroristas tinham relações sexuais com as pessoas vivas ou mortas, eles sequestravam e tiravam a vida das mulheres ainda contou que fugiu de lá por medo.

Segundo Muskan as mulheres que tinham empregos no governo vão passar por muitos problemas agora e suas famílias também, já que as leis impostas por eles são tão severas, grande parte corre risco de vida se não saírem do país.

A entrevista dela ocorreu pouco tempo após a notícia que uma mulher havia sido morta por sair a rua sem usar a sua burca, mesmo tendo prometido que iriam respeitar as mulheres agora.

PUBLICIDADE

Desde a última vez que o Talibã governou o Afeganistão suas regras eram muito rígidas algumas delas são:

  • Homem precisam usar barba
  • Mulheres só saem de casa de burca
  • Cinema e televisão são proibidos
  • Mulheres não trabalham e não estudam

Como punições para quem rouba são cortadas as mãos, como punição para que a mulher adultera ela deve ser apedrejada publicamente, essas entre outras são as regras e leis mais temidas que estão sendo implantadas no Afeganistão atualmente já que Talibã conseguiu tomar as rédeas do país.

PUBLICIDADE

 

“Era muita maldade, mordidas, puxão de cabelo chamando de vagabunda”, diz babá que pulou do 3º andar de um prédio para fugir das agressões da patroa

Um dia após o terrível ataque em Araçatuba o cenário é de guerra e outras cidades sofreram ataque: “Parece cidade fantasma, o medo tomou conta da população”