in

Pai acredita que filho morto em Araçatuba foi executado por não conseguir segurar em capô: “Dez tiros, ato covarde e desnecessário”

O pai de Victor Poça de 34 anos Personal trainer que foi morto durante o mega assalto às agências bancárias em Araçatuba disse que acredita que o filho tenha sido executado por não se segurar no capô quando os criminosos deixavam o local.

PUBLICIDADE

Genival José da Silva funcionário público, disse que após ver as imagens e o ataque em Araçatuba ele conseguiu ver o filho Márcio amarrado sobre o capô, ele estava no primeiro carro disse o pai.

Estava em cima do Capô e quando os carros foram saindo ele estava como um escudo humano, o pai acredita que ele tenha caído não conseguiu segurar viu a oportunidade de tentar fugir e nesse momento foi baleado, foram 10 tiros.

O tio de Márcio Jaime José da Silva conta que o sobrinho estava voltando de um evento, ele havia participado como os amigos quando se depararam com a quadrilha fortemente armada assaltando banco.

PUBLICIDADE

Ele foi tirado do carro as moças foram liberadas e fizeram alguns reféns, o corpo do rapaz foi encontrado e acreditam que ele não conseguiu segurar no capô e após ter fugido foi baleado.
Um amigo de longa data o Francisco Alves disse que infelizmente Márcio estava no lugar errado na hora errada, mas vê a covardia dos criminosos não havia necessidade alguma de matar, eram pessoas de bem eles estavam assaltando um banco e não havia necessidade de dar sequer um tiro.

Márcio era professor em uma academia e a notícia da morte dele chegou por meio do anúncio de um policial falando que infelizmente ele estava morto, pelo menos 20 criminosos participaram da ação em Araçatuba, eles colocaram nos explosivos e estavam fortemente armados.

PUBLICIDADE

 

Mãe é separada dos filhos após atentado em Cabul: “Não posso fazer nada sem eles”

“Já acabou, Jéssica”: Jovem largou a escola caiu em depressão ao virar meme: ‘Uma frase fez minha vida virar um inferno’