in

Mãe é indenizada após médico confundir líquido amniótico com urina, o bebê nasceu morto

Charlotte Jackson tem 29 anos e estava gravida, tudo corria muito bem até que em um dia ela precisou de um atendimento médico e se sentiu negligenciada o que acarretou a morte de seu bebê que ainda estava na barriga.

PUBLICIDADE

Ela contou ter ficado muito emocionada ao descobrir a gravidez e durante todo o processo procurou estar sempre em dia com o pré-natal e consultas de rotina que a todo tempo mostrava que tudo estava correndo como esperado.

O bebê que receberia o nome de Jacob se mexia muito na barriga e em algum momento a mãe viu estar um pouco menos ativo, uma cesária já havia sido recomendada então  ela foi ao hospital já que o bebê estava se mexendo menos, mas nada foi feito, no dia 31 de outubro em uma consulta pré cirúrgica ela contou haver perdido liquido e estava com dores.

Por ser uma gravidez de alto risco já que ela tem diabetes o médico que a atendeu disse estarem com poucos funcionários e a perda de líquido provavelmente foi apenas xixi que ela havia feito na cama.

PUBLICIDADE

Dia 1 de outubro foi o último dia que a mãe já preocupada sentiu o bebê se mexer, ela então procurou novamente o hospital onde constatou que a criança já estava morta, ela deu à luz então a um natimorto.

O hospital foi processado por negligência e reconheceu que o atendimento foi falhou com a família e esse é apenas mais um caso entre os outros 1800 existentes contra a maternidade em questão na Inglaterra.

PUBLICIDADE

 

Bebê de apenas um ano mamava quando foi assassinada a tiros com a mãe e o pai

Mulher é presa suspeita de abuso contra a própria sobrinha de 11 anos