in

Luciano Hang, “O Veio da Havan” fala na CPI e cala a boca de vários deputados com respostas diretas e coerentes

Um assunto que em sido questionado nas redes sociais é a CPI da covid onde o empresário Luciano Hang dono da rede de lojas Havan foi ouvido.

PUBLICIDADE

Algumas pessoas criticaram dizendo que a CPI se tornou um palco de televisão, mas a verdade que quem assistiu percebeu que Luciano calou a boca de vários deputados que não tinham nada para acusá-lo, apenas palavras.

Alguns deputados falaram cerca de 10 minutos e no final não tiveram coragem sequer de fazer uma pergunta para Luciano.

O empresário está vestido com a roupa verde amarela e chegou até a publicar um vídeo das suas lojas, chegou a falar das suas empresas e também contou que doou 200 cilindros de oxigênio fora máscaras e vários utensílios para combater a covid, foram mais de 1 milhão de reais somente em cilindro.

PUBLICIDADE

E mais de cinco milhões de reais para ajudar em vários recursos para combater a pandemia, por isso não é uma pessoa que negligenciou a doença, não é negacionista, entende que existe a doença que ela está presente e fez de tudo para ajudar, ele não cruzou os braços como muitas pessoas artistas que não fizeram nada, ele agiu a favor de vários estados para se protegerem da covid-19.
Vários comentários nas redes sociais em que dizem que Luciano está sendo perseguido simplesmente por que apoia o Presidente da República Jair Bolsonaro e por isso está na CPI.

Alguns chegará criticar dizendo que a CPI é uma grande farsa e que os deputados não tem nada melhor para fazer, em todas as palavras Luciano mostra que é uma pessoa coerente sabe articular bem e respondeu todas as perguntas nenhuma pergunta ficou faltando.

PUBLICIDADE

Na verdade ficou faltando perguntas para por parte dos Deputados, nas redes sociais o comentário é extenso falando sobre o show que ele deu, nas respostas bem dadas aos deputados, que não tiveram reação.

 

Trágico acidente entre caminhão, ônibus e van deixam 12 mortos e pelo menos 17 feridos: “Cena assustadora”

Jovem afirma que aos 12 anos sofreu abuso do médico ginecologista: “Me deitou na maca, mexeu lá e me mostrou quadrinho pornô”