in

Em filme sobre os Mamonas assassinas, vocalista Dinho irá ganhar vida através de um holograma

O legado da famosíssima banda Mamonas Assassinas permanece até os dias de hoje, mesmo tendo se passado mais de 25 anos desde que aconteceu aquele trágico acidente de avião que acabou tirando a vida dos integrantes da banda, no auge de seu sucesso.

PUBLICIDADE

Diversos projetos relacionados a banda, precisaram de serem adiados em decorrência da pandemia de Covid 19, mas já estão começando a ganhar forma para o ano de 2022.

Agora, já no mês de janeiro, serão iniciadas em Guarulhos, em São Paulo, as filmagens do longa que irá contar sobre a trajetória dos cantores e autores de diversos clássicos que apesar do tempo, permanecem até os dias de hoje, como por exemplo “Pelados em Santos” e “Robocop Gay”.

Uma das grandes novidades, é que o vocalista da banda, Dinho Alves, o qual morreu com apenas 24 anos de idade, irá ganhar vida no filme com o auxílio de tecnologia de efeitos especiais. Dessa forma, o vocalista da banda vai aparecer em cena representado por um holograma.

PUBLICIDADE

“Posso dizer que já tem um bom tempo que estamos trabalhando na criação do holograma que representará o Dinho, desenvolvendo e aperfeiçoando essa tecnologia para a incrementarmos no filme”, explicou o primo de Dinho, Jorge Santana, também responsável pela criação da marca da banda no podcast, muito + que uma infância.“Eu acredito que isso vai ser uma surpresa muito grande e dará a impressão de ser de fato real. Pessoas que participaram, de forma importante na história da banda também vão ser retratadas na história, como por exemplo o Gugu Liberato”, revelou ele.

Via: extra.globo.com

PUBLICIDADE

Gatos ajudam a encontrar recém-nascida que foi abandonada em bueiro

Avião com 101 passageiros é forçado a pousar por causa de cheiro forte de chulé