in

Homem pedala 1400km para participar de formatura do filho no exército

Uma atitude simplesmente impressionante e muito linda! Um homem chamado Pedro Figueiredo, o qual tem 64 anos de idade, viajou cerca de 1400km de bicicleta, para conseguir ver seu filho, Agostinho Figueiredo, de 25 anos de idade, se formar na AMAN, Academia Militar das Agulhas Negras.

PUBLICIDADE

O homem teve de pedalar por 18 dias de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, até o interior do Rio de Janeiro, em Resende.

Durante um período de três anos, Agostinho Figueiredo tentou adentrar na academia. Quando finalmente conseguiu, seu pai lhe fez a promessa de que estaria, de qualquer forma, em sua formatura, para prestigiar o filho.

“O meu filho precisou de se esforçar muito, para estar onde está hoje. Nós somos uma família humilde e ele sempre frequentou escolas públicas. Teve de batalhar muito para conseguir realizar seu sonho. Agora eu me vi na obrigação de fazer um esforço por ele”, disse o pai em entrevista.

PUBLICIDADE

O Senhor Pedro, nesse processo, tirava 6 horas do seu dia para pedalar, a uma velocidade de 15km/h, para que conseguisse chegar a tempo para a cerimônia. Ele revelou que já é acostumado a pedalar por grandes distancias, já a um bom tempo em sua vida.Durante essa longa viagem, Pedro acabou conhecendo diversos pontos turísticos, entre eles a Avenida Paulista e o Museu de Arte de São Paulo. Ele até mesmo ficou hospedado nas casas de 13 famílias diferentes, no decorrer de sua longa jornada.

“Essa minha viagem, está me mostrando que ainda existem muitas pessoas por aí com um bom coração, dispostas a ajudarem, pois, pessoas que eu nunca vi na vida, e vice-versa, me acolheram e contribuíram para que esse meu esforço valesse a pena e se tornasse possível”, conta ele.

PUBLICIDADE

“O meu filho espera a minha chegada, e tenho certeza que será emocionante ver ele se formando após esses esforços que, eu e ele fizemos juntos”, finalizou Pedro.

 

Ainda presa, Flordelis fica noiva de produtor musical de 26 anos

Pesquisadores acreditam que nova variante da covid-19 encontrada na África será uma das piores