in

Pastora denuncia estar sofrendo ameaças por realizar casamento entre duas mulheres

Odja Barros, a pastora que realizou aentre duas mulheres em Maceió, vem sendo alvo de diversas ameaças de morte, que além de serem feitas a ela, atingem até sua família.

PUBLICIDADE

Ela decidiu registrar um Boletim de Ocorrência e se reuniu na manhã desta quarta-feira (15) com um delegado da Polícia Civil para tomar as providencias em relação ao caso.

Na terça feira (14), elas, juntamente de sua família, fizeram queixa à polícia e uma denúncia na Secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh). Eles estavam sofrendo as ameaças através da internet, em mensagens que eram enviadas ao perfil deles, nas redes sociais.

“Desde 2016 a gente sofre diversas críticas pelo trabalho que realizamos ás minorias, uma campanha pessoal foi feita contra a gente. Mas isso que aconteceu agora passou dos limites, alguém ameaçar atirar na cabeça da minha esposa e ainda dizer que está nos vigiando, isso nos mostra que estamos vivendo tempos difíceis”, diz o pastor.

PUBLICIDADE

A filha da pastora, realizou muitas publicações em uma rede social comentando sobre as ameaças que sua mãe e família vem sofrendo depois da realização do matrimonio.

“A minha mãe é a pastora Odja Barros, doutora e teóloga feminista há 20 anos. Desde que a notícia do casamento homoafetivo saiu nas redes sociais, ela vem sendo alvo de uma onda de comentários e ameaças. Um dos piores ódios, é o ódio religioso”, lamentou ela.

PUBLICIDADE

Para o pastor Wellington, a ameaça se torna mais chocante por ter sido feita também às filhas do casal. “A gente vai tomar todas as providências cabíveis para que essa situação não se repita novamente. Que gente é essa que faz ameaças de morte em nome da fé? ”, questionou ele.

 

Jovem grava o próprio acidente em que morreu no Pará

Jovens que morreram em grave acidente em Vitória são identificados