in

Pai vai de ambulância a formatura de sua filha em SC: “Para cumprir minha promessa de valorizar a educação”

Ricardo Córdova Diniz, de 58 anos de idade, que estava internado em Blumenau, recebeu autorização por parte da equipe médica para deixar, por questão de algumas horas, o Hospital Santa Isabel, para que pudesse participar da formatura do ensino médio de sua filha, Maria Angélica Diniz, de 18 anos, em Itajaí, na noite deste último sábado (18). A jovem não sabia que ele iria, portanto, sua chegada ali foi uma grande surpresa para ela.

PUBLICIDADE

“A única coisa que eu falei para ela, era que eu estaria lá em espírito. Ela nem imaginava. Assisti toda a cerimônia e fui agraciado por que ela ganhou um mérito escolar de melhor aluna. Eu sempre frisei, que a maior herança que eu deixaria para ela seria a educação. Então, me fiz presente ali naquele momento, para cumprir a minha promessa de dar valor a educação dela”, contou Ricardo.

PUBLICIDADE

Ele foi de ambulância, totalmente paga pela unidade de saúde, para o evento, que aconteceu a 60 quilômetros distante do hospital em que estava internado.

PUBLICIDADE

Em sua chegada, Ricardo foi recepcionado pela filha, que logo lhe agradece por ter se esforçado para estar ali presente. De acordo com informações, Diniz fez uma cirurgia no intestino e permanece internado desde o dia 22 de novembro, e ainda não tem previsão de alta.

O hospital, através do projeto “O que importa para você”, o qual atende todos os pacientes e torna possível uma experiência a critério do internado incluído no tratamento, se mobilizou para ajudar Ricardo a ir na cerimônia.”A gente quer ressaltar a nossa gratidão em relação ao projeto do hospital. Isso seria impossível sem o auxílio desses verdadeiros anjos. São coisas assim que marcam a vida de uma pessoa. Um momento de alegria e sucesso até que se recuperem”, comentou Christiane Mesadri Diniz, esposa de Ricardo.

Uma equipe multiprofissional, dividida entre enfermeiros e médicos, acompanhou Ricardo durante todo o trajeto e realização da cerimônia. De acordo com o hospital, o estado de saúde de Ricardo foi monitorado durante toda a semana para se certificar se de fato ele poderia ir a formatura. Ao término da mesma, ele voltou para o hospital para continuar os tratamentos de recuperação.

 

Mulher recusa vacina, morre de Covid-19 e deixa duas meninas órfãs

Pessoas com depressão têm direito ao auxílio doença do INSS?