in

Quem são os envolvidos na morte de Moises, jovem morto por cobrar seu próprio salário e qual foi a participação de cada um?

Três homens tiveram suas prisões efetuadas em decorrência da morte de Moïse Kabagambe no quiosque Tropicália, que fica localizado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, no último dia 24 de janeiro.

PUBLICIDADE

A polícia disse que, Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca, conhecido como Dezenove; Brendon Alexander Luz da Silva, de apelido Totta; e Fábio Pirineus da Silva, apelidado de Belo, são os assassinos de Moïse. Todos os três trabalham na região da praia, porém, nenhum deles é funcionário do quiosque Tropicália

O trio teve suas prisões temporárias decretada por parte da Justiça do Rio e provavelmente irão responder por homicídio duplamente qualificado — com características de impossibilidade de defesa por parte da vítima, além de utilização de meio cruel no decorrer do crime. Veja mais sobre os suspeitos.

PUBLICIDADE

Fábio Pirineus da silva, 37 anos – O Belo

PUBLICIDADE

Surge nas imagens de camiseta regata. ele é Vendedor de caipirinhas na praia, Belo fez a confissão à polícia de que disferiu pauladas contra Moïse. Nas imagens, é possível ver que Belo é quem pega o bastão de madeira e começa a bater enquanto que Brendon tenta fazer uma imobilização no congolês.

Fábio estava escondido na casa de alguns parentes em Paciência, que fica localizado na Zona Oeste, e foi detido nesta última terça-feira, dia 1.Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca, 29 anos – O Dezenove

Nas imagens, este surge de camisa vermelha de uma torcida organizada do Flamengo e usando boné. Em um vídeo gravado, ele confessou que participou das agressões e afirmou que “não era a intenção de nenhum deles tirar a vida do congolês”.

O próprio se apresentou à polícia na última terça-feira (1º) na 34ª DP e foi sequentemente encaminhado para a DH, onde foi interrogado.

Brendon Alexander Luz da Silva, 21 anos – O Tota

Brendon Alexander Luz da Silva, mais conhecido como Tota, é quem começa a briga com Moïse, no momento em que o congolês pratica mais uma tentativa de pegar uma cerveja no freezer. Eles de início tiveram um estranhamento verbal até que Tota derruba Moïse aplicando um golpe de jiu-jítsu chamado de “baiana”.

Ainda aplicando técnicas de luta em meio a situação, ele luta com o objetivo de dominar completamente o congolês, imobilizando-o por muito tempo, enquanto que Fábio e depois Aleson, usam um pedaço de pau para agredi-lo.

Tota trabalha em um estabelecimento chamado Barraca do Juninho, que fica na areia da Praia da Barra, logo em frente ao quiosque Tropicália. É cozinheiro, além de trabalhar no quiosque do Biruta, localizado bem ao lado do Tropicália.

 

Mulher é detida sob suspeita de oferecer a própria filha de 14 anos por R$ 100 para prostituição em SP

Jovem viaja mais de 7 mil Km para conhecer namorado e acaba assassinada por ele com 19 facadas