in

Planos de saúde podem ter aumento de ate 20% no preço

Quem tem plano de saúde ja sabe que todo inicio de ano tem um pequeno reajuste no plano. No entanto esse ano o aumento foi salgado para o bolso do consumidor.

PUBLICIDADE

O reajuste anual que não ocorreu no ano passado devido a pandemia de covid-19 ocorrera agora e ele vem com outros ajuste fazendo o preço ficar bem mais alto que o comum.

Muitos especialistas falam que as mensalidade dos planos de saúde mais antigos podem dobrar de preço dependendo do plano e cobertura.

Mas o que houve de tao incomum para que os planos de saúde aumentasse tanto de preço?

Segundo informações muitos dos planos não fizeram o reajuste anual do ano passado e com isso esse ano vai haver ate três reajustes a do plano que e comum a de idade e também de faxetaria segundo alguns pode ser 8,14 outros 9% e alguns pode haver reajuste de 20%

Tudo isso e para que haja um equilibrio pois os planos de saude foram afetados com o inicio da pandemia e a perda de alguns contratos.

PUBLICIDADE

Tambem devemos levar em conta que o valor do reajuste e referente a dois anos e deve sempre que possível ser renegociado.

Faixas etárias por data de contrato – reajuste do plano de saude por faixa etária

Para os contratos entre 2 de janeiro de 1999 e 1º de janeiro de 2004, os reajustes são aplicados para as seguintes faixas etárias:

PUBLICIDADE

•   0 a 17 anos

•   18 a 29 anos

•   30 a 39 anos

•   40 a 49 anos

•   50 a 59 anos

•   60 a 69 anos

•   70 anos ou mais – não pode ser maior que 6 vezes o valor da faixa inicial (0-17 anos)

Observação: aqueles com mais de 60 anos e com contrato há mais de 10 anos não podem ter reajuste por causa de mudança de faixa etária.

Para os contratos após 1º de janeiro de 2004, os aumentos de preço são aplicados:

•   0 a 18 anos

•   19 a 23 anos

•   24 a 28 anos

•   29 a 33 anos

•   34 a 38 anos

•   39 a 43 anos

•   44 a 48 anos

•   49 a 53 anos

•   54 a 58 anos

•   59 anos ou mais – não pode ser maior que 6 vezes o valor da primeira faixa (0 a 18).

Observação: por lei, a variação de preço acumulada entre a faixa etária de 44 a 48 anos e a faixa de 59 anos ou mais não pode ser maior que a variação registrada entre a faixa de 0 a 18 anos e a de 44 a 48 anos.

Sobre os reajustes

O reajuste dos planos individuais ou familiares contratados após a Lei nº 9.656/98 (Lei dos Planos de Saúde) ou adaptados a ela podem ter reajuste máximo de 8,14%, de acordo com a ANS. As operadoras, portanto, são proibidas de aplicar percentuais mais altos.

O valor foi definido levando em consideração as despesas assistenciais do período anterior à pandemia (entre 2018 e 2019). Os efeitos de 2020 só serão refletidos no reajuste referente a 2021.

Já o aumento de preço por mudança de faixa etária, depende do que é estipulado em cada contrato. “Tem faixa etária de 50%, 80% e 100%, depende da idade do consumidor. Também tem reajuste de 8%, 9% e até 20%”.

Entenda a suspensão do reajuste do plano de saude

Em agosto de 2020, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu suspender os reajustes dos planos de saúde entre os meses de setembro e dezembro, devido à retração econômica causada pela pandemia da Covid-19.

Para os planos de saúde individuais ou familiares, não houve, neste período, aumento por reajuste anual e nem a aplicação de variação de preço por causa de mudança de faixa etária do consumidor. Os valores retroativos começam a ser cobrados agora, a partir de janeiro, divididos em 12 parcelas.

A medida de suspensão não incluiu os planos contratados antes da lei dos planos de saúde ou não adaptados a ela, planos exclusivamente odontológicos e contratos coletivos empresariais com 30 ou mais vidas.

Sabemos que a saude e um bem e muitos foram impactados com esse aumento no plano.

Seguindo esse cálculo, foram definidos os seguintes índices máximos de reajuste que poderão ser aplicados a partir de janeiro:

  • Amil: 8,56%
  • Bradesco: 9,26%
  • Sulamérica: 9,26%
  • Itauseg: 9,26% 

Fonte ANS

Autogolpe fracassou trump sem apoio fala sobre transição

Governo de SP suspende mudanças no ICMS para alimentos e medicamentos genéricos